SÃO PAULO (Reuters) - A barragem da central hidrelétrica do Carioca, localizada no município de Pará de Minas, teve seu nível de segurança elevado de alerta para emergência, segundo informações do dono do empreendimento e da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A Companhia de Tecidos Santanense, proprietária da usina, afirma que foi emitido um comunicado de emergência às autoridades na noite de terça-feira "por cautela e primando pela segurança da comunidade", em meio a fortes chuvas que atingem o Estado.

Segundo a companhia, a medida foi tomada após a realização de inspeção técnica na instalação e ao se verificar uma cheia excepcional no rio São João, que elevou o nível de água vertido na barragem.


Publicidade


Nesta quarta-feira, a Aneel informou ter recebido o comunicado da empresa sobre a alteração do nível de segurança da barragem.

Video: Moradores temem rompimento de barragem após fortes chuvas em Minas Gerais (Reuters) 


Pelas categorias de segurança de barragens de hidrelétricas do regulador, o nível de emergência é acionado quando há risco de ruptura iminente, exigindo providências para prevenção e mitigação de danos humanos e materiais.

A usina de propriedade da Santanense é uma pequena central geradora hidrelétrica (CGH) de 1,47 megawatt (MW) de potência, segundo informações disponibilizadas no site da Aneel.

"Destacamos também que o monitoramento constante do nível de água do reservatório que vem sendo realizado pela Santanense não identificou alterações significativas nas últimas 12 horas, de modo que a situação permanece estável e a barragem mantém sua estrutura preservada", disse a Santanense, em nota nesta quarta-feira.

Na segunda-feira, a prefeitura de Pará de Minas retirou moradores da área que seria afetada em caso de rompimento da estrutura.

(Por Letícia Fucuchima)