Sabia que, antigamente, o "Tempo da Epifania" ia até o início da Quaresma?

Durante muitos séculos, a Igreja Católica celebrou um “ciclo de Natal” que, geralmente, começava no fim de novembro e durava até o fim de janeiro.

Neste ciclo litúrgico, existiam três tempos litúrgicos diferentes. O primeiro era o Tempo do Advento, que continua sendo celebrado até hoje.

O segundo era o Tempo do Natal, que ia de 25 de dezembro a 6 de janeiro. A partir daí, começava o Tempo da Epifania, que durava até a Quarta-feira de Cinzas.

Publicidade

Os católicos que participam de forma extraordinária do rito romano estão familiarizados com esses tempos.

Já os anglicanos mantêm o Tempo da Epifania até o começo da Quaresma.

Atualmente, a maioria dos católicos romanos seguem o calendário geral romano, que inclui um curto Tempo da Epifania (dentro do Tempo do Natal) entre o domingo da Epifania e o Batismo do Senhor.

Depois disso, a Igreja inicia o Tempo Comum. Em latim, esse período é chamado de “Tempus Per Annum”. Trata-se de um momento em que focamos na vida de Cristo e seu ministério público.

É interessante notar que a cor do Tempo Comum e da Epifania é o verde (com exceção de alguns dias festivos).

Esta cor simboliza regeneração e renovação, que são temas relacionadas tanto à infância de Jesus quanto o seu ministério.

É um tempo que nos ajuda a preparar nossos corações para a Quaresma, quando focaremos na cruel realidade do sacrifício de Jesus na Cruz.


Com informações de Aleteia